Suicídio A Epidemia Calada

Felipe de Stefano Balster Martins

Nascido em 7 de setembro de 1978
Falecido em 27 de novembro de 2012
Quando me foi pedido para escrever esta biografia, me faltou coragem.
Já escrevi sobre a morte, sobre a minha perda e mudança no papel de mãe de um filho morto, da dor de amar um filho que se foi para sua jornada estelar. Escrever o histórico da vida do Felipe não é tarefa tranquila nem feliz. Chorarei o tempo todo, pelas saudades que estas revelações me trazem.
Posso ser tendenciosa, poderei ser medrosa ou fazê-lo parecer um anjo, pois "a distância é a mãe da excelência". Também posso ser verídica demais e desapontar alguns. Como achar o equilíbrio sem omissões ou elogios? Este tema, a biografia, está na pauta da mídia, com autores brigando com seus biografados e vice e versa. Já sei que ocorrem falhas e vou ser mesmo ilegítima, então me perdoem os leitores, mas mãe só tem uma.

Suicídio A Epidemia Calada

Fragmentos de
uma arte
interrompida

O que pensa um suicida, além da própria morte?
O livro “Suicídio: a epidemia calada” traz uma parte da história de Felipe De Stefano Balster Martins, que se suicidou em 2012.
A obra a traz conteúdos escritos em seus diários, que foram encontrados por sua mãe em seu apartamento, após o suicídio.
Que esta biografia dê conta de situar no tempo e no espaço, não só a vida artística de Felipe, mas que possamos compreender a obra inacabada pela depressão grave e suicida. Penso que muito ele ainda iria produzir se a decisão fatal não tivesse interrompido sua arte. Infelizmente somos impotentes para mudar o destino de alguém se não há sinceridade, honestidade e humildade perante a vida.

Fragmentos de uma arte interrompida

Quadros

A principal mensagem de seus quadros sempre foi a ironia, o desprezo pelo censo comum, e o sarcasmo com os aspectos triviais do existir.Alguns quadros nós conhecíamos, pois chegaram a ser mostrados por ele. Mas, a maioria deles só fomos encontrar depois de sua morte, em seu apartamento, escondidos debaixo da cama, do colchão e enrolados dentro dos armários. De forma intencional e lúcida, escondeu suas verdades existenciais expressas em suas pinturas tão reveladoras.

Drª Maria Cristina Ramos De Stefano

A minha missão de vida tem sido ajudar outras pessoas em seus sofrimentos. Primeiro fui sanitarista e depois psiquiatra. São as duas opções que ficam por último na escolha das especialidades médicas. Escolhi primeiro abranger o todo e depois a individualidade, para estar ainda mais próxima do outro. Me sinto mais capaz agora de me comunicar com os demais, transcendendo a dor com o cuidar, solícita para com a existência alheia. Posso dizer que meu plano de vida, pessoal, profissional e social está lúcido, ampliou os horizontes e acrescentou vida aos meus propósitos humanos. Jamais poderia imaginar que um dos meus filhos se mataria. A vivência desta situação cruel me resignificou. Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Santos em 1976.
Possui Título de Especialista em Saúde Pública, pela USP – Universidade de São Paulo, em 1978. Por 10 anos, lecionou nesta área na Faculdade de Medicina de Jundiaí e trabalhou como médica sanitarista nas unidades de saúde da Secretaria Estadual de Saúde.
Obteve o Título de Especialista em Psiquiatria, pela Associação Brasileira de Psiquiatria, em 1996 e vem atuando na especialidade.
Por 25 anos, participou do quadro de cooperados da Unimed Jundiaí, tendo sido Diretora de Médicos Cooperados em uma gestão.
Em 2012, perdeu o seu filho, Felipe De Stefano Balster Martins, de 34 anos por suicídio e desde então vem se dedicando a conscientização sobre o Suicídio e a sua prevenção, por meio de palestras para estudantes, funcionários públicos, empresas, hospitais, presídios, e outras diversas instituições.
Além das palestras, a psiquiatra publicou o diário de seu filho, com o título ‘Suicídio: a epidemia calada’, que traz o cotidiano dos últimos anos de vida de seu filho.
Desde 2016, atua como voluntária do CVV - Centro de Valorização da Vida, instituição que há mais de 50 anos presta acolhimento emocional.

Drª Maria Cristina De Stefano

Agenda de eventos

28/09/2021

Palestra: Hospital Psiquiátrico de Itupeva

Data: 28/09/2021 Horário: 19h00

23/09/2021

Palestra: OAB Santo André

Data: 23/09/2021 Horário: 19h00

22/09/2021

Palestra : Rotary (Conexão)

Data:22/09/2021 Horário: 19h30

21/09/2021

Inauguração Grupo Acolhimento Viver

Data: 21/09/2021 Horário: 19h30 às 21h00

17/09/2021

Palestra: CIEE

Data: 17/09/2021 Horário: 09h00 às 10h00

16/09/2021

Palestra - CVV - Sorocaba

Data: 16/09/2021 Horário: 19h00 às 21h00  

14/09/2021

Empresa DEXCO

Evento Setembro amarelo para os colaboradores. Data: 14/09/2021 Horário: 10h00 às 11h30

10/09/2021

Live - Rádio Nacional da Amazônia

Data 10/09/2021 Horário: 13h30 às 14h30 Live sobre Suicídio  

18/09/2020

Entrevista Sinapsys.news: Maria Cristina debate a epidemia calada do suicídio

O medo das respostas e a dificuldade de tratamento do paciente que tem uma doença mental para um psiquiatra, inibem questionamentos que podem levar a encaminhamentos precoces para atendimento especializado que evitariam o suicídio.   https://sinapsys.news/suicidio-epidemia-calada/?fbclid=IwAR1DWwygbudDUZdLpkXzbHpmjOPP4jBnb6BpWL9G8lex_aIY4tibzTlBXiw

17/09/2020

Palestra Setembro amarelo - FACCAMP

Online

06/10/2019

Palestra CVV Ribeirão Preto

Encontro CVV Ribeirão Preto

24/09/2019

Faculdade Anhanguera - Roda de conversa

O curso de Psicologia da Faculdade Anhanguera de Jundiaí, em parceria com o CVV, colaboração da aluna Fabiana Nogueira e Guarda municipal, promoveu nos dias 24 e 30 de setembro, uma roda de conversa de conscientização sobre a prevenção ao suicídio. Organização: Professora Thaís Castro

06/09/2019

Lançamento Suicídio: A Epidemia Calada - 3º Edição

06/09/2019

Vernissage

Exposição dos quadros De 06/09/2019 à 27/09/2019

30/04/2019

ETEC - Campo Limpo Paulista

Palestra de prevenção ao suicídio

01/09/2018

I SEMINÁRIO SOBRE COMBATE AO ASSÉDIO MORAL: SAÚDE E REFLEXOS LEGAIS.

Câmara Municipal de Jundiaí

30/05/2018

Suicídio Expressões 07

A Série Expressões foi produzida pela Mov8 para o projeto Canal8 WebTv (2015/2017) https://www.youtube.com/watch?app=desktop&v=HQ5Ad_r8Ku4&fbclid=IwAR3Y1qEAYRkyx6Kwh7jAR_Ji9ztD997oxsxaKpoxrTHsARktTaDE_3xQrYs

15/12/2017

Palestra na Sociedade de Psicanálise de Campinas

Prevenção de suícidio

21/04/2017

Programa Encontros com Fátima Bernardes

Exibição em 21 abr 2017 Psiquiatra virou voluntária do CVV após o suicídio do filho Maria Cristina conta que o fiho dissimulava seus sentimentos com brincadeiras e parecia uma pessoa alegre e sociável. Andrea Ramal critica os memes que circulam nas redes sociais e ridicularizam o suicídio

21/09/2016

Exposição \"Suicídio\" - Setembro Amarelo Casa Brasil

Para homenagear e conscientizar as pessoas sobre o Setemrbo Amarelo, mês de atenção ao autoextermínioonde, Dia Mundial de Prevenção do Suicídio. O programa foi conhecer uma história fascinante e uma exposição tocante “Suicídio: a epidemia calada”. O Programa Casa Brasil é exibido diariamente pelo Canal 25 da Net - Jundiaí  

19/09/2016

Exposição dos quadros

Exposição de quadros Local: Biblioteca Municipal de Jundiaí

01/09/2016

Ação Setembro amarelo

Passeata no centro de Jundiaí, abordando e conscientizando a sociedade sobre suicídio.

20/06/2016

Frente de articulação da saúde mental em Jundiaí

A Câmara Municipal recebeu, pela primeira vez, a 'Frente de articulação da saúde mental em Jundiaí', com o tema ‘Epidemia calada: suicídio, um diálogo para prevenção e cuidados das doenças mentais no município’. O principal objetivo do encontro foi apresentar a situação atual em relação aos atendimentos dessa natureza e avaliar os recursos disponíveis para implantação de políticas públicas, visando a diminuição do número de suicídios e a recuperação dos pacientes e das famílias. #vamosquebraressetabu

24/02/2016

Lançamento da 2º Edição do livro Suicídio: a Epidemia Calada

A segunda edição traz os últimos diários de Felipe De Stefano Balster Martins, o qual cometeu suicídio em novembro de 2012, e os quadros pintados por ele. A obra foi organizada pela psiquiatra e mãe Dra. Maria Cristina Ramos De Stefano.

GALERIA

DEPOIMENTOS

Depoimentos e relatos de sobreviventes e enlutados.

MURAL DE HISTÓRIAS

Espaço para os leitores, participantes de palestras e Vernissage.

CONTEÚDO

VOCÊ NÃO ESTÁ SÓ

IPPES e o Grupo de Acolhimento Viver

O IPPES – Instituto de Pesquisa, Prevenção e Estudos em Suicídio, se dedica essencialmente à realização de pesquisas acadêmicas e aplicadas, palestras de sensibilização, workshops, seminários, atividades de ensino, treinamento/capacitação e divulgação de informações sobre o suicídio no mundo e no Brasil. 

Nossos objetivos são: produzir conhecimentos acadêmicos e aplicados sobre o comportamento suicida na população geral e seus correlatos; formar multiplicadores de prevenção e posvenção do suicídio, oferecendo suporte e consultoria; habilitar profissionais da saúde, educação e segurança pública para atuar na prevenção do suicídio e em situações de crise suicidas; divulgar informações empíricas sobre suicídio, prevenção e posvenção entre grupos ocupacionais de alto risco; oferecer consultorias na formulação, implementação e avaliação de Políticas de Prevenção ao Suicídio entre Profissionais de Segurança Pública no Brasil.

Pensando em como se utilizar das pesquisas e estudos científicos na valorização da vida, na prevenção e posvenção do suicídio, o IPPES criou o Grupo de Acolhimento Viver que busca o acolhimento dos sobreviventes e enlutados por suicídio.

O grupo atua como mais uma oportunidade de promoção e valorização da vida, ressignificando a vida dos sobreviventes e enlutados e na prevenção às violências autoprovocadas (ideação suicida, tentativa de suicídio, suicídio consumado e autolesão sem intencionalidade suicida), através do nosso lema “Luto pela Vida”.

Ir >
Instituto Bia Dote

O Instituto Bia Dote é uma organização não governamental e sem fins lucrativos que trabalha com a prevenção do suicídio e a valorização da vida desde 2013.

O Instituto surgiu da vontade de ressignificar a dor da perda e fazer dela emergirem possíveis. A partir dos sentimentos vividos com a partida de Bia, familiares e amigos uniram-se na intenção de ajudar a fazer o tema do suicídio, ainda um tabu, emergir como discussão necessária à sociedade e contribuir na mudança de uma realidade delicada e velada, mas nunca distante.

Nos nossos espaços e percursos, buscamos não só conferir visibilidade, debater, desmistificar e conscientizar sobre o tema do suicídio junto à sociedade, mas também ser abrigo a quem precisa. Procuramos atuar na criação e consolidação de redes de apoio e de valorização da vida, proporcionando aos indivíduos espaços de acolhimento, suporte psicológico e trocas de experiências e meios para lidar com sentimentos como a dor e o luto.

Acreditamos que a informação é o primeiro passo para a mudança. O estigma e o silêncio em torno do suicídio tornam essa questão de saúde pública ainda mais difícil de ser tratada com a devida importância, tanto pelos poderes públicos como pela sociedade.

No ano de 2017, o Instituto Bia Dote esteve junto a muitas pessoas. Mais de 100 pessoas passaram pelo nosso atendimento psicológico gratuito. Realizamos 65 palestras, sendo 34 em escolas. Somente nesse ano, através das palestras, alcançamos cerca de 4.566 pessoas.

Nós podemos ser agentes de transformação dessa realidade. Vamos juntos?

Ir >

Telefones Úteis

FALE COM A GENTE

(11) 96404-0444

COMPRAR O LIVRO